segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

Os medos se tornam adultos.

Quando a gente é criança, temos medo do escuro, do bicho papão, do homem do saco, de ficarmos sozinho, daquele pesadelo de toda noite. Então vamos crescendo, e aprendemos a enfrentar esses medos, descobrimos que bicho papão não existe, que o escuro é exatamente igual quando há luz, os pesadelos passam.
Mas enquanto crescemos, não deixamos de ter medo, ele sempre vai nos acompanhando. Os medos vão se tornando adultos também. Temos medo de fracassar, medo de ser diferente, medo de coisas que fazemos, medo de coisas que não temos coragem de fazer. Esses medos não podem ser enfrentados com um simples acender de luz ou uma lanterna, eles nos perseguem, nos enfraquecem e como já dizia Mestre Yoda, nos levam ao lado negro da força.
Eu nunca tive medo de dirigir, por mais que eu não gostasse tanto, sempre entendi como uma necessidade, uma forma de chegar onde eu queria sem depender tanto de outras pessoas, mas algumas pessoas começaram a me colocar medo (sim, existem pessoas que são mestras nisso, as mães, por exemplo, fazem um intensivão antes de dar a luz), começaram a dizer que eu não seria capaz de dirigir sozinha na estrada, que era perigoso, que eu não deveria fazer.
Durante um bom tempo eu comecei a acreditar nisso também, sentia medo de dirigir sozinha porque não me sentia capaz, e isso já estava me incomodando bastante. Foi então que surgiu a oportunidade, e eu fui, e deu tudo certo. Enfrentei esse medo que criaram para mim.
O que eu quero dizer com essa balela toda é que eu acredito que o medo seja uma forma de proteção, mas também que ele existe para ser enfrentado. Então, fique perto de pessoas que te incentivem a superar seus medos, que te dão coragem e um chacoalhão de vez em quando. Muitas vezes é necessário. 

“O medo é o caminho para o lado negro. O medo leva a raiva, a raiva leva ao ódio, o ódio leva ao sofrimento.” 
― Mestre Yoda (Star Wars: Episódio 3)


Um comentário:

  1. Concordo Mari, muitas vezes o medo nos impede de realizar objetivos por crenças limitantes que criamos na nossa própria cabeça. Por isso é importante estar perto de pessoas que nos incentivem, mas lembrando que a mudança só virá se nós corrermos em busca dela para o nosso próprio crescimento.
    Grande beijo.

    ResponderExcluir